Lapas vê com naturalidade crescimento na reta final

0

Lapas promove encontros para elaborar plano de governo

publicidade

O prefeito e candidato à reeleição Jorge Lapas (PDT) concedeu entrevista ao Visão Oeste na terça-feira, 20, e disse que não ficou surpreso por ter assumido a liderança em pesquisa divulgada nesta semana. Ele disse que o crescimento acontece porque na campanha a população se informa sobre as ações desenvolvidas por seu governo. A entrevista foi transmitida ao vivo pela página do Visão Oeste no Facebook.

O prefeito também afirmou que a situação jurídica da candidatura de Celso Giglio (PSDB), barrado pela Lei da Ficha Limpa até o momento, contribui para que ele perca pontos. “O doutor Celso Giglio é um nome importante na cidade, uma pessoa que a gente respeita, fez muita coisa também pela cidade, mas essa questão jurídica dele deixa as pessoas numa insegurança, então era natural que perdesse um pouco de espaço”, analisou.

publicidade

Lapas comentou conteúdos que foram publicados por adversários na internet, como um vídeo de uma reunião dele com guardas municipais. “Era uma reunião com guardas municipais e o objetivo foi justamente agradecer os guardas. A GCM nunca teve uma ação tão ostensiva, porque a maior preocupação da população hoje é a segurança. Qual era o objetivo? Primeiro agradecer eles terem ido pra rua se expor, porque essas ações de rua são arriscadas para o guarda”, disse.

Apesar de garantir que vai continuar investindo na guarda e também numa nova central de videomonitoramento, Lapas critica a falta de atenção do governo do estado em Osasco. Segundo ele, o efetivo da polícia militar na cidade não chega a mil PMs, o que representa apenas 300 policiais nas ruas simultaneamente. “O preconizado é um policial para cada 250 habitantes, o que daria 1.800”.
Saúde
Jorge Lapas disse que a área da saúde tem problemas pontuais e Osasco é cidade-pólo, concentrando o atendimento da população de várias cidades vizinhas. “Pra quem faz 1 milhão de procedimentos por mês, vai ter reclamação. O plano de saúde tem reclamações também”, afirmou.

publicidade

Ele cita como exemplo a recém-inaugurada UPA do Centro, onde a administração municipal esperava realizar 400 atendimentos por dia, mas está atendendo em média 600.

Paço Municipal
O Visão Oeste questionou Lapas sobre o imbróglio jurídico que já parou a obra do novo Paço Municipal, no Bonfim, por duas vezes. Ele criticou as ações do PSDB na Justiça e negou irregularidades. “É uma ação político-partidária visando prejudicar uma candidatura e prejudica a cidade, porque o Paço ir pra lá não é um conforto pros funcionários, é um conforto para o munícipe também”, disse. O prefeito lembrou que a obra tem custo financeiro zero para o município, já que envolve permuta de terrenos para a iniciativa privada. O projeto abrange também a construção do parque central, que vai ocupar metade do terreno onde hoje está a prefeitura.

Comentários