Início Cidades Ministério Público pede destituição de dirigentes do Unifieo e intervenção

Ministério Público pede destituição de dirigentes do Unifieo e intervenção

1
Docentes e alunos realizaram protestos reivindicando o pagamento dos atrasados / Foto: Carol Nogueira.
Docentes e alunos realizaram protestos reivindicando o pagamento dos atrasados / Foto: Carol Nogueira.

O Ministério Público do Estado de São Paulo entrou com ação civil pública com pedido de intervenção do Centro Universitário Unifieo. Na ação, o promotor de justiça Gustavo Albano Dias da Silva pede ainda, liminarmente, a destituição mediata dos atuais dirigentes da Fundação Instituto de Ensino para Osasco, mantenedora do Unifieo. O pedido deverá ser avaliado pelo juiz da 4ª. Vara Cível de Osasco.

publicidade

Na ação, ajuizada no dia 10 de julho, o promotor defende a necessidade da tutela antecipada em porque os dirigentes da instituição de ensino estariam, segundo o MP, “empreendendo atividades incompatíveis com o espírito da entidade social, angariando lucros estratosféricos a si próprios e suas famílias, num concatenado sistema de nepotismo”. A atitude, justifica o MP, efetiva “negócios espúrios à custa do definhamento patrimonial da Fundação”.

Desde o ano passado, o Unifieo está no centro de uma polêmica envolvendo o não pagamento dos salários de professores, demissão em massa e denúncias de má gestão.

publicidade

Leia mais: Se professor depende apenas de salário do Unifieo, “problema dele”, diz pró-reitor

Leia mais: Mesmo com determinação da Justiça, Unifieo ainda não recontratou professores, que fazem ato na quarta, 19

publicidade

Depois de uma greve de professores que durou mais de 30 dias por atrasos de salários (alguns reclamavam 6 pagamentos atrasados), cerca de 100 profissionais foram demitidos por justa causa. Em abril, a Justiça do Trabalho considerou a greve não abusiva e determinou a recondução de todos os educadores ao trabalho.

Pedido do MP pela destituição dos dirigentes e intervenção do Unifieo
Pedido do MP pela destituição dos dirigentes e intervenção do Unifieo (Reprodução)

Dívidas de R$ 20 milhões

O Unifieo acumula mais de R$ 20 milhões em dívidas e desde o início da polêmica alega falta de recursos para quitar as pendências.

Ainda em novembro, a reitoria apontou como fatores para a crise o atraso em repasses do Fies, do governo federal, e a alta inadimplência dos alunos, que, segundo a instituição, teriam deixado de pagar R$ 6 milhões em mensalidades só no ano passado.

Leia mais: Com professores em greve, há cinco meses sem receber, Unifieo retoma aulas para quem não concluiu 2º semestre

Comentários

1 COMENTÁRIO

  1. Osasco se tornou uma cidade sem lei, depois de três gestões desastrosas do PT e com o atual prefeito envolvido em escândalo de desvio de dinheiro público, detalhe o atual prefeito não é do PT mas enrustidamente tem ligação com o PT, Osasco vive às moscas, triste ver um a cidade afundando em mar de lama, ruas cheias de buracos, falta de segurança, escolas sem professores, falta de funcionários na prefeitura até para os serviços básicos, uma péssima administração até o momento, essas coisas mostram que cidade onde PT bota o pé nem grama nasce mais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRogério Lins diz que Bilhete Único será possível “no segundo ou terceiro ano de governo”
Próximo artigoEmpresas devem brigar na Justiça contra gratuidade a partir dos 60 anos nos ônibus de Osasco