PT e PSDB defendem legados e PSB apresenta terceira via

0

grafico2Lideranças da oposição apostam na exposição dos seus candidatos para subir nas pesquisas para a corrida presidencial. Enquanto isso, o PT defende conquistas dos governos Lula e Dilma para buscar a reeleição da presidente em outubro. 

publicidade

Pela pesquisa mais recente, do Datafolha, divulgada dia 22, Dilma Rousseff (PT) aparece com 47% das intenções de voto e venceria no primeiro turno se a eleição fosse hoje. O senador Aécio Neves (PSDB) tem 17% e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), 12%. Votos em branco ou nulos somariam 18% e outros 6% não souberam responder.

Caso o candidato da aliança PSB-Rede não seja Campos, mas Marina Silva, esta tem 23% das intenções de voto. Neste cenário, Dilma teria 43% e Aécio 15%. O vereador de Osasco, Mario Luiz Guide, principal liderança do PSB na região, não acredita numa reviravolta na chapa. Para ele, a candidatura de Eduardo Campos, com Marina vice, deve ser confirmada no próximo dia 15, quando haverá um encontro do partido no Rio de Janeiro.

publicidade

“Um dado importante é o conhecimento do candidato por parte da população. Campos é conhecido somente por 50% e a campanha vai se encarregar de deixar ele conhecido”, diz Guide, que aposta na exposição para aumentar as intenções de voto do presidenciável do PSB. De acordo com o vereador, a campanha de Campos e Marina vai defender conquistas dos governos Fernando Henrique e Lula, como o Plano Real e avanços sociais. “Mas achamos que dá para fazer mais e diferente em muitos aspectos, como em relação aos serviços públicos e infraestrutura”, afirma.

O deputado estadual pelo PT, Marcos Martins, diz que a liderança da presidente Dilma Rousseff nas pesquisas se deve à satisfação da população em questões como emprego, crédito e moradia. “Por mais que a grande mídia fale, a população sente a melhoria na qualidade de vida nos governos Lula e Dilma”, diz. Para o deputado, nas últimas campanhas para a Presidência da República o PSDB “escondeu FHC”, o contrário do que acontece agora.

publicidade

De fato, no campo tucano a ordem parece ser a defesa do legado de Fernando Henrique Cardoso. Nesta semana, em Brasília, o PSDB organizou sessão no Congresso Nacional para comemorar – com cinco meses de antecedência – os 20 anos do Plano Real. O deputado estadual João Caramez (PSDB), ex-prefeito de Itapevi, diz que o país “vive um momento de atenção, pois a inflação está de volta e preocupa a todos”.

Ele também aposta no início da campanha para o crescimento do presidenciável tucano nas pesquisas. “A pesquisa retrata o momento em que a presidente tem uma divulgação através da mídia muito maior que qualquer outro pré-candidato. Quando houver isonomia nas aparições com certeza a tendência é de mudança”. (Fernando Augusto)

Comentários