Telhada quer o fim da democracia na Câmara Municipal

Telhada quer o fim da democracia na Câmara Municipal

0
Compartilhar

*Renato Rovai

O ex-comandante da “humanitária” Rota, o não menos “humanitário” Coronel Telhada (PSDB), foi diplomado vereador nesta semana.
Quem achou que o coronel iria pegar mais leve como vereador, foi otimista ou simplesmente ingênuo. Telhada mostrou como vai levar seu mandato logo na sua primeira coletiva depois de ser diplomado.
De cara, propôs que seja controlada a entrada na Câmara. O futuro vereador não consegue aceitar “um monte de pessoa que entra lá para tomar banho nas pias do banheiro”. O coronel também quer que na casa do povo paulistano, o visitante tenha que tirar uma foto na entrada, forneça um documento de identificação e diga para qual gabinete está indo.

Se isso for colocado em prática, os movimentos sociais ficarão impedidos de entrar na Câmara para realizar protestos.Ou seja, é o fim da democracia na Casa.
E não para por aí. Telhada foi indicado pelo “humanitário” PSDB para uma das vagas na Comissão de Direitos Humanos.
Perguntado se gostaria de assumir a Comissão, veja a brilhante resposta do coronel:
“Olha, não existe ninguém que defenda mais os direitos humanos, os direitos dos cidadãos, do que a PM. Mas defendo que o cidadão de bem seja valorizado e o bandido seja colocado na cadeia. Precisamos de uma mudança na legislação para acabar com o indulto e com as visitas íntimas. Isso só existe no Brasil”

Impressiona a visão ampla de prioridades em termos de direitos humanos do futuro vereador tucano. Tudo que é necessário é acabar com o indulto e a visita íntima.
A situação de barbárie dos presídios são meros detalhes para o tucano. Aliás, Telhada se esqueceu que acabar com indulto e visitas íntimas são atribuições do Estado e da União.
*Renato Rovai é diretor de redação do Visão Oeste

Compartilhar

Comentários