Início Cidades Barueri TV Secor discute Fórum de Desenvolvimento Regional

TV Secor discute Fórum de Desenvolvimento Regional

0
O apresentador, Jeferson Martinho, o diretor do CIESP- Castelo, Fábio Fonseca, o economista e presidente da Rumo Desenvolvimento, Edgar Nóbrega, e o diretor de Políticas Sindicais do Secor, Edson Bertoldo / Foto: Assessoria/Rumo

Na manhã desta segunda-feira, 23/5, o economista e presidente da Rumo Desenvolvimento, Edgar Nóbrega, participou do TV Secor, programa do Sindicato dos Comerciários de Osasco e Região, junto com o diretor titular do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) Castelo, Fábio Fonseca, e o diretor de Políticas Sindicais do Secor, Edson Bertoldo, para tratar do funcionamento do Fórum de Desenvolvimento Regional.

publicidade
O apresentador, Jeferson Martinho, o diretor do CIESP- Castelo, Fábio Fonseca, o economista e presidente da Rumo Desenvolvimento, Edgar Nóbrega, e o diretor de Políticas Sindicais do Secor, Edson Bertoldo / Foto: Assessoria/Rumo
O apresentador, Jeferson Martinho, o diretor do CIESP- Castelo, Fábio Fonseca, o economista e presidente da Rumo Desenvolvimento, Edgar Nóbrega, e o diretor de Políticas Sindicais do Secor, Edson Bertoldo / Foto: Assessoria/Rumo

De acordo com Edgar Nóbrega, o Fórum é um espaço que foi criado, em 2013, com a missão de promover o diálogo e incentivar a articulação da  sociedade civil organizada para traçar propostas de desenvolvimento direcionadas às oito cidades integrantes do Consórcio Intermunicipal da Região Oeste (Cioeste): Carapicuíba, Cotia, Barueri, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba.

“O Fórum é um espaço da sociedade voltado para pensar e construir propostas para um desenvolvimento local sustentável. O órgão se reúne a cada 45 dias e está aberto não só para as organizações de Osasco, mas para autoridades e organizações da Região Oeste como um todo”, relatou o economista.

publicidade

ASSISTA AO PROGRAMA NA ÍNTEGRA:


Segundo Fábio Fonseca, o Fórum de Desenvolvimento permite a articulação não apenas dos empresários, mas de agentes sociais em geral, como sindicatos e associações, no planejamento de políticas públicas. Logo, o Fórum possibilita uma questão elementar para o desenvolvimento das mesmas, o diálogo.

publicidade

O diretor do Secor, Edson Bertoldo, ressaltou ainda que a partir do Fórum os sindicatos tiveram a oportunidade de apresentar os interesses dos trabalhadores da região. “Queríamos ter voz, por isso decidimos participar do Fórum. Somos várias cabeças pensantes, buscando equalizar interesses e criar uma pauta de reivindicações”, pontuou.

O diretor da Rumo Desenvolvimento ainda explicou a relação do Fórum com o Cioeste, espaço do Poder Executivo criado pelos prefeitos da região há mais de dois anos. “O Fórum dialoga, trabalha com o Cioeste para pensar as políticas regionais”, afirmou ele.

Para além de um espaço de reivindicação, a criação do Fórum de Desenvolvimento propiciou o estabelecimento de uma agenda regional resultante do forte pluralismo das ideias. O Fórum atua em áreas, como: mobilidade urbana e infraestrutura; segurança; saúde e previdência; meio ambiente e sustentabilidade, entre outras.

Edgar Nóbrega ainda citou o site oficial do Fórum de Desenvolvimento (www.forumoeste.com.br), como uma ferramenta importante que apresenta um mapeamento socioeconômico da região.

Pauta Regional para as eleições 2016        

Atualmente, o grande desafio do Fórum é construir uma pauta comum voltada às eleições de 2016, reunindo as principais demandas e assuntos de interesse público regional. “A partir de uma agenda que se encontra em elaboração, o Fórum vai dialogar com todos os pré-candidatos às prefeituras de toda região, do eixo Castelo-Cotia, e buscaremos fortalecer as ideias de uma economia criativa e a questão dos arranjos produtivos locais”, explicou o economista no programa do TV Secor.

“Hoje o Fórum de Desenvolvimento é o espaço da sociedade que se reúne para propor ideias, respeitando as diferenças, a fim de atingir um interesse comum: o desenvolvimento das cidades”, concluiu ele.

 

Comentários