Vereador minimiza resposta de secretário: “Não tive nem o desprazer de assistir”

0

Líder do prefeito Rogério Lins (PODE) na Câmara de Osasco, o vereador Ribamar Silva (PRP), diz ter ignorado a resposta do secretário de cultura, Gustavo Anitelli, aos parlamentares que têm feito críticas e pedido a demissão dele. “Não tive nem o desprazer de assistir ao vídeo”.

publicidade

Os ataques dos vereadores da bancada evangélica a Anitelli começaram com o apoio da Secretaria de Cultura a um evento no qual um material de divulgação tem o desenho de um beijo entre os super-heróis Batman e Superman e se intensificaram com o apoio cultural a uma peça de teatro encenada no calçadão de Osasco na qual policial aparece vestido de mulher e a bandeira do estado aparece de cabeça para baixo.

Anitelli postou um vídeo no Facebook no qual declara que os ataques dos parlamentares eram, “censura”. “Manifestação artística a gente não censura. Censurar manifestação artística é censurar a pluralidade de ideias. Não podem me condenar pelas virtudes do trabalho que a gente tem feito, que é de liberdade, diálogo e jamais aceitar censura ou corrupção”.

publicidade

Ribamar rebateu: “Eles podem expressar o que eles pensam, falar o que eles pensam, e a gente não pode expressar o que a gente pensa? Se a gente expressa o que a gente pensa é censura? A gente não tem nada contra, só quer que façam as coisas com respeito. O que eles fizeram no calçadão foi uma falta de respeito”.

publicidade

Membro da bancada evangélica, Ribamar diz que as críticas vão além de questões religiosas: “Não é a bancada evangélica, não é a bancada cristã. É a sociedade civil que não concorda com esse tipo. A gente precisa manter os valores da família”.

“Expor a bandeira do Brasil, a bandeira do estado, de ponta cabeça é crime. Se a polícia chega na hora, pode prender eles”, emendou Ribamar.

O vereador também reclama das críticas que tem recebido de artistas e de defensores do secretário de Cultura: “Se você olhar no Facebook, eles atingem a gente com a maior falta de respeito. Não respeitam nossa família, nossa integridade… e nós que somos ditadores?”.

Fim da linha? 

A pressão dos vereadores pode ser a gota d’água para Anitelli deixar a Secretaria de Cultura. Além das reclamações dos parlamentares, o partido de Anitelli, PT, que tem mantido discurso de neutralidade e com membros na administração, estaria prestes a se confirmar como oposição ao governo Lins, tornando insustentável a permanência dele no cargo.

“É lamentável a postura desse secretário. Repudio ele, vou continuar repudiando. E pode ter certeza que no que depender de mim ele não vai fazer parte do governo, até porque não ajudou a construir esse governo. Ele é do PT, não ajudou a construir este governo e não tem que participar”, diz Ribamar Silva, líder do prefeito Rogério Lins na Câmara Municipal.

Nos próximos dias o prefeito deve anunciar mudanças no secretariado.

Comentários