Jair Assaf é eleito presidente da Câmara de Osasco

0

Nova Mesa: Maluco Beleza, Alex da Academia, Mazé Favarão, Jair Assaf, Karen Gaspar, Cláudio Henrique e Rogério Lins / Foto: Eudes de Souza/CMO
Nova Mesa: Maluco Beleza, Alex da Academia, Mazé Favarão, Jair Assaf, Karen Gaspar, Cláudio Henrique e Rogério Lins / Foto: Eudes de Souza/CMO

publicidade

O vereador Jair Assaf, eleito pelo PSDB e filiado ao recém-criado PROS em outubro do ano passado, foi eleito nesta quinta-feira, 18, e será o presidente da Câmara Municipal de Osasco no biênio 2015/2016. Assaf foi eleito com os 18 votos da base aliada do governo, contra três da oposição, que votou em André Sacco (PSDB).
O novo presidente da Mesa Diretora do Legislativo está em seu sexto mandato e fez parte do grupo político do ex-prefeito Celso Giglio (PSDB), de quem foi vice e secretário. Desde que ingressou no PROS passou a ser leal ao governo Jorge Lapas (PT).

Vereador deixou o PSDB ano passado

Em suas primeiras declarações após ter sido eleito, Jair Assaf agradeceu aos colegas, mas também ao apoio recebido do prefeito, que foi decisivo na eleição da Mesa. “Nós, como um poder independente, mas que trabalha com o Executivo, não podíamos deixar de agradecer ao prefeito Jorge Lapas. Acho que a sua nobreza imperou quando concordou com a nossa eleição aqui nesta Casa”, disse.
Ele também falou e apoiou o projeto de construção de uma nova sede para a Câmara e para a Prefeitura. “Não podemos mais ter gambiarra. Quando vou visitar outras cidades e vejo o tamanho da Câmara e a maneira como o povo é recebido, fico um pouco com inveja. Temos prioridades que não podemos deixar de lado, mas precisamos de uma nova Câmara”, garantiu.

publicidade

O pai de Jair, Clóvis Assaf, presidiu a Câmara de Osasco entre 1970 e 1972, e, ao falar do pai, o presidente eleito se emocionou. “Meu pai foi um exemplo de democracia nos anos 70. Isso aumenta minha responsabilidade”, disse.

Mesa Diretora de Osasco em 2015/2016

publicidade

Presidente: Jair Assaf (PROS)
1º vice-presidente: Karen Gaspar (PTdoB)
2º vice-presidente: Claudio Henrique (PV)
1º secretário – Professora Mazé (PT)
2º secretário – Alex da Academia (PDT)
3º secretário – Maluco Beleza (PHS)
4º secretário – Rogério Lins (PTN)

Vereadores do PSDB se negam a repudiar Bolsonaro

A Câmara de Osasco aprovou nesta quinta-feira, 18, moção de repúdio ao deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), proposta pela vereadora Mazé Favarão (PT), pelas declarações do parlamentar contra a deputada Maria do Rosário (PT-RS). Bolsonaro disse que não estupraria a deputada “porque ela não merece”. Os vereadores do PSDB André Sacco, Sebastião Bognar e De Paula se abstiveram e ficaram revoltados, pois queriam votação nominal e não simbólica sobre o tema.

Exaltado, Bognar disse que o plenário da Câmara cometeu um “ato ditatorial” e justificou a abstenção à moção de repúdio porque “o voto de repúdio não está sendo dado unicamente às palavras [de Bolsonaro]. Não podemos aceitar o repúdio à pessoa”, afirmou. O presidente da Câmara, vereador Antônio Aparecido Toniolo (PCdoB) explicou que na votação simbólica não era possível constar a abstenção, mas somente o voto contrário ou favorável à moção, o que causou revolta nos tucanos.
A moção da vereadora Mazé Favarão recebeu o apoio na tribuna da Câmara das vereadoras Karen Gaspar (PTdoB) e Andrea Vergínio (PSD).

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVisão Atenta
Próximo artigoO futuro que almejamos