Lula volta à cena com ato em Osasco e entrevista a blogueiros

0

Grupo de nove blogueiros e o ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva em entrevista coletiva na Capital / Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Grupo de nove blogueiros e o ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva em entrevista coletiva na Capital / Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

publicidade

Fernando Augusto

O ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva voltou fortemente à cena política. Em um momento de queda da popularidade da presidente Dilma Rousseff e de ofensiva da oposição por uma CPI que investigue a Petrobras, Lula participou de evento com o pré-candidato do PT ao governo do estado, Alexandre Padilha, dia 4, em Osasco, e concedeu entrevista a blogueiros dia 8.

publicidade

No ato no clube Floresta, em Osasco, Lula recomendou aos petistas que estão no poder que saiam às ruas para ouvir a população. “O diálogo com a sociedade deve ser permanente para que a gente continue consolidando a democracia”, disse. O ato em Osasco foi parte da chamada Caravana Horizonte Paulista, que tem levado o pré-candidato do PT ao governo, o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, para várias regiões do estado. No dia anterior ele havia visitado Jandira e no dia 5 foi a Carapicuíba.

Ex-presidente nega o “volta Lula”

Lula afirmou que será normal se ocorrerem manifestações durante a Copa do Mundo, que começa em junho. “É importante que as pessoas queiram mais e melhor”. Ele citou a polêmica pesquisa do Ipea, onde 26% dos entrevistados afirmaram concordar total ou parcialmente com a frase: “mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas” para dizer que “está aumentando o conservadorismo nesse país”.
Sobre os 50 anos do Golpe Militar de 1964, Lula lembrou a luta pela redemocratização do país e citou a presidente Dilma Rousseff. “Temos uma presidenta que ficou três anos presa e foi torturada e sabe que o tempo dela não é de vingança, mas de construção de esperança”, disse o ex-presidente, que também lembrou de quando se candidatou ao governo do estado em 1982. Em apoio a Padilha, Lula disse que “se o PT no estado de São Paulo fizer o que fez no Brasil, eles nunca mais voltarão a governar o estado”.

publicidade

Blogueiros
Na terça-feira, 8, na sede do Instituto Lula em São Paulo, Lula concedeu entrevista com 3 horas de duração a blogueiros, entre eles o diretor de redação do Visão Oeste, Renato Rovai, que mantém o seu Blog do Rovai. O ex-presidente fez questão de iniciar a entrevista garantindo que a presidente Dilma Rousseff será candidata à reeleição. “Não sou candidato, minha candidata é a Dilma Rousseff. Se vocês (blogueiros) puderem contribuir para acabar com essa boataria, vocês estarão contribuindo com a democracia no Brasil”, afirmou.
Lula defendeu a formação de uma Assembleia Constituinte exclusiva para fazer uma reforma política. “Sem a reforma política todas as outras reformas que temos de fazer serão muito mais difíceis. E eu estou convencido que essa reforma o Congresso não fará. Há interesse em manter o status quo, então por que mudar? sou totalmente favorável a uma Constituinte exclusiva para fazer essa reforma. Acho que não tem outro jeito”, afirmou.

Petrobras
Sobre a CPI da Petrobras, Lula lembrou que nos anos eleitorais a estatal sempre é utilizada pela oposição. “Eu penso que são pessoas que trabalham para enfraquecer a Petrobras. Se ela hoje vale US$ 98 bilhões, no governo FHC ela valia US$ 15 bilhões”, disse o ex-presidente.
Lula também foi instado a comentar sobre o julgamento do “mensalão”. “Se o PT tivesse feito o debate político quando deveria ter feito o embate político, em vez de esperar decisão jurídica, a história poderia ter sido outra. Nós vimos como a imprensa foi construindo o resultado desse julgamento”, ponderou. “Eu queria saber como um caso de fraude de R$ 3 mil em uma estatal chefiada pelo PMDB envolvendo um quadro do PTB virou o mensalão e caiu no colo do PT. Essa história ainda será recontada.”

Comentários