Prefeitos e deputados da região lamentam demissão de Mandetta

1
políticos mandetta
Emidio, Bruna Furlan, Igor Soares e Renata Abreu

O prefeito de Itapevi, Igor Soares (PODE), lamentou a demissão de Luiz Mandetta do Ministério da Saúde, anunciada nesta quinta-feira (16), em plena pandemia do novo coronavírus (covid-19). “É direito do presidente fazer mudanças no time a qualquer instante, mas lamento a saída do ministro Luiz Henrique Mandetta neste momento crucial para o Brasil e para o mundo. [Mandetta] Deixou um legado positivo à nossa nação”, declarou. Igor Soares também desejou sucesso ao novo ministro, o oncologista Nelson Teich.

O prefeito de Santana de Parnaíba, Elvis Cezar (PSDB) agradeceu a “lucidez” de Mandetta ao defender o isolamento social como uma das principais medidas contra a disseminação do vírus. “Tivemos uma baixa em nosso país, mas vejo isso com grande expectativa. Sem dúvida alguma, nós temos bastante gratidão ao trabalho desempenhado pelo Ministério da Saúde sob a liderança do Mandetta e quero agradecer profundamente pela lucidez, enquanto foi ministro, de determinar e apoiar o isolamento social”, disse o prefeito, que também desejou sorte a Nelson Teich.

A deputada federal Bruna Furlan (PSDB-SP) definiu a mudança no Ministério da Saúde como “um movimento temerário”: “A troca de comando é um movimento temerário do presidente Jair Bolsonaro no momento em que o país parece estar ingressando na fase crítica da pandemia. Luiz Henrique Mandetta vinha realizando trabalho respeitável à frente da pasta”.

Publicidade

A deputada federal Renata Abreu (PODE-SP) também lamentou a demissão de Mandetta. “Considero a saída do ministro Luiz Henrique Mandetta como uma das maiores perdas do governo federal. Ele era um dos melhores ministros, conhecedor da área, é médico, pela primeira vez tivemos um ministério formado por gente técnica, não política. A queda dele é péssima para o país”.

O deputado estadual Emidio de Souza (PT), ex-prefeito de Osasco, usou a sua conta no Twitter para criticar o presidente. “Bolsonaro é incorrigível. Em vez de se alinhar com a ciência, a OMS e todos os países, prefere trocar o ministro da saúde por alguém que se alinhe à sua loucura”, escreveu.

Outra político que se manifestou sobre a demissão de Mandetta foi o presidente da Câmara de Osasco, Ribamar Silva (PSD). “Com profunda tristeza e indignação que recebo a notícia da demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Exerceu um excelente e eficaz trabalho no comando do combate à pandemia do coronavírus no Brasil”, escreveu nas redes sociais.

Comentários