O Massacre de 8 de Julho

0

Buscar a bola dentro do gol, cena que se repetiu sete vezes / Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM
Buscar a bola dentro do gol, cena que se repetiu sete vezes / Foto: Jefferson Bernardes/VIPCOMM

publicidade

O que o Mundial teve de bonito na recepção aos turistas, nas partidas disputadíssimas e emocionantes, nas festas, teve de horrorosa na eliminação da seleção brasileira. Vergonha, humilhação, vexame, tragédia, desastre… não há palavra que resuma o sentimento pelo que aconteceu naquele triste 8 de julho de 2014. O Massacre de 8 de Julho, ta aí um bom nome para o nosso filme de terror.
Assim como há males que vêm para o bem, o contrário também acontece. Agora, que brasileiro não gostaria que aquela bola na trave do Chile no último minuto da prorrogação tivesse entrado, não é?
Seria muito mais fácil explicarmos aos nossos filhos, netos, uma derrota com gol no fim para o Chile do que o pesadelo que vivenciamos na terça. As imagens dos alemães fazendo gols e mais gols diante de um bando de perdidos vestindo a sagrada amarelinha não me saem da cabeça e dão calafrios.

Chave de ouro?
Depois, vem o Maicon e fala em buscar o terceiro lugar para “fechar com chave de ouro”. Chave de ouro? Cara, é o Brasil, país do futebol, pentacampeão, jogando a Copa em casa… Se liga!
Desnecessária, a disputa do terceiro lugar só pode tornar as coisas piores.

publicidade

Renovação
Apesar de tudo, esse elenco tem qualidade. São jogadores de destaque nos melhores clubes do mundo. O principal problema foi a preparação inadequada, a falta de tática, de treinos, uma comissão técnica ultrapassada.
Mesmo assim, Felipão, Parreira e cia. dizem que a preparação foi “perfeita”. Só a tal Dona Lúcia mesmo para elogiar tamanha soberba.
Que a dor, a vergonha nos sirvam de lição, para que o futebol brasileiro passe por uma grande renovação, se modernize, atualize, para voltarmos a reinar neste esporte em que somos, ainda, muito bons.
É hora de mudar esses cartolas, que se acham donos do nosso futebol; investigar os desmandos da CBF; buscar aprendizado com o que tem sido feito de bom nos outros países, na Alemanha, na Holanda, nas seleções sul-americanas, que evoluíram muito; readequar o calendário; rever o poder dos empresários etc.

Samba
O trecho de um samba do cantor Noite Ilustrada postado nas redes sociais pela presidente Dilma Rousseff reflete o clima que deve tomar conta do nosso futebol após o desastre: “levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”.
Mas sinceramente eu ainda não tô nessa fase. No momento, faz mais sentido pra mim o trecho do samba que ficou famoso na voz de Jovelina Pérola Negra entoado pelo seu Zé do boteco aqui da esquina de casa desde o vexame: “Se você bebe para esquecer, por favor, pague antes de beber.”
Foi muito bom curtir a Copa com vocês aqui pelo Visão Oeste. Que em 2018 tenhamos melhor sorte. Tchau, tchau. Deixa eu ir ver o que está acontecendo, parece que saiu outro gol da Alemanha… ah, não!

publicidade

Comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorFelipão e Parreira defendem trabalho
Próximo artigoAgenda Cultural